A Minha Graça Te Basta

“e ele (Cristo) me disse: ‘A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza’. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que  repouse sobre mim o poder de Cristo.” (2Co 12:9)

Que declaração!

A minha graça te basta, disse o nosso amado Senhor. Sinto-me como se o Senhor segurasse minha cabeça conduzindo meus olhos para ele dizendo eu sou o suficiente. E ele  disse isto ao velho Paulo, o apóstolo, que já havia pedido ao Senhor por três vezes que tirasse dele o espinho na carne1 que nele foi posto para o esbofetear. Não tenho dúvidas de que esse espinho, sobre o qual não quero fazer nenhuma especulação, incomodava demais nosso amigo. Quem já teve a experiência de ter sido perfurado por um espinho, tem uma noção do que Paulo estava passando. É importante lembrar que o tal espinho era na carne e não na pele, ou seja, era fundo e doía muito. Enviado para me fazer sofrer terrivelmente2. Em meio a grande sofrimento Paulo roga (suplica, implora) a primeira vez, depois mais uma vez e pede a terceira vez e vem até que vem resposta do Senhor. Qual seria a melhor resposta? Tirar ou manter o tal do espinho? Qual é a melhor resposta do Senhor? Sim ou não? A melhor resposta é a que o Senhor dá. O não que vem de Deus é tão bom quanto o sim.

E a resposta do Senhor para Paulo foi a minha graça te basta. O Senhor disse ao experiente obreiro que tinha de tirar os olhos do espinho e manter os olhos nEle. Esta foi a melhor resposta para Paulo, que passa a olhar para as suas fraquezas com alegria e paz.

Só temos motivos para adorar

Que loucura! … de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas. Aquilo que seria motivo de murmuração e queixa, passa a ser motivo de regozijo e glória. Grande valor. Realmente é uma loucura. Qual a linguagem que tem saído de nossa boca? Queixas, reclamações e murmurações ou louvor e adoração?

Andamos pelas ruas dessa terra, desse mundo e ouvimos a linguagem dele: queixa e murmuração. Homens e mulheres queixosos e murmuradores. Queixando-se de tudo e o tempo todo. É o sol que está forte demais ou um frio que ninguém agüenta. É fila grande, os ônibus cheios, o trânsito, o barulho ou até o silêncio. Tudo é motivo para reclamação e queixa. São os problemas no trabalho ou em casa. Os colegas ou a família. Nada fica de fora. Sem falar que o principal alvo da reclamação é o próprio Deus.

A igreja, no entanto, é formada por um povo diferente. Um povo que aprendeu que tudo coopera positivamente para formar nele o caráter de Cristo. Então no lugar de fazer queixa, esse povo louva, adora e exalta o Eterno. É assim mesmo. Ele aprendeu a dar graças ao Senhor pelas longas filas e engarrafamentos que o ensina a ser paciente. Aprendeu a dar graças pelo calor e pelo frio, pelos colegas de trabalhos, pelos problemas – por tudo.

Que estranho! E dar graças pelo sofrimento? Mais estranho ainda!!! Mas assim é o povo de Deus, pois aprendemos a colocar nossos olhos em Cristo e ver nas nossas fraquezas, nas lutas, nas provas, na dor, na angústia e nas aflições, motivo para exaltar e bendizer o nome do nosso amado Jesus.

Para que repouse em nós o poder de Cristo

Eis aqui o refrigério e a esperança – Cristo em vós, a esperança da glória3. Esta é a verdade que nos separa do desespero, pois não será a ausência dos problemas que definirão a nossa caminhada nessa vida, mas a presença de Cristo, sua vida e sua graça em nós. E se estamos nEle, temos acesso à sua vida e graça. Assim, digo aos desanimados, aos abatidos, aos cansados, se vocês estão atravessando o vale da sombra da morte4 mantenham seus olhos no Senhor e continuem, se é pelo calor e tempo de sequidão5 que vocês estão passando, estenda suas raízes para o ribeiro5 de água viva e bebam, fartem-se. Mantenham seus olhos no autor e consumador da sua fé6 e contemplem aquele que era, que é e que há de vir7– o Alfa e o Omega7, aquele a quem foi dada toda a autoridade no céu e na terra8, e diante de quem todo joelho se dobrará e toda língua confessará que Ele é o Senhor para a glória do Pai9. Saibam, com certeza, que vocês, homens e mulheres que estão em Cristo Jesus – foram revestidos dele10. Portanto, sejam fortalecidos no Senhor e na força do seu poder11.

E desta forma, como Paulo, diremos que sentimos prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estamos fracos, então é que somos fortes12.

_________________________________
2Co 12:7; 3 Cl 1:27; Sl 23:4; 5 Jr 17:8; 6 Hb 12:2; 7 Ap 1:8;
8 Mt 28:18; 9 Fp 2:10-11; 10 Gl 3:27; 11 Ef 6:10; 12 2Co 12:10
CEV – Contemporary English Version.

29 de maio de 2007

About these ads

Sobre Raymundo Brasil

Sou um dos pastores numa congregação em Salvador, Bahia, cujo propósito está bem definido na frase “Deus quer ter uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus", para sua glória e honra. Neste espaço compartilho o que entendo cooperar com Deus para que seu desejo se cumpra entre nós, os seguidores de Cristo Jesus. Que a graça do nosso amado Senhor Jesus Cristo seja sobre todos.
Esse post foi publicado em Meditem comigo e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s